Rueda & Rueda organiza evento online sobre a importância da Comunicação Não-Violenta

A Comunicação Não-Violenta (CNV) é considerada uma ferramenta social, que nos convida a trabalhar a expressão de forma empática e conectada através da forma como interagimos com o outro. Baseada em quatro pilares, (observação, sentimentos, necessidades e pedido), a CNV é um método que foi desenvolvido pelo psicólogo americano Marshall Bertram Rosenberg com apoio de outros profissionais internacionais, e que consiste numa pesquisa extensa e orgânica, sendo moldada até os dias atuais. 

Considerando a importância desta prática no campo pessoal e profissional, o Rueda & Rueda Advogados organizou no dia 23 de setembro, através do Comitê de Qualidade e Processos Internos, uma palestra online para seus colaboradores, tendo como convidada a palestrante Rebeca Araújo, mediadora, advogada e especialista no assunto de comunicação não-violenta.
Ao passar do tempo, temos percebido que a questão da prática da CNV vem sendo enfatizada não só para o campo das relações pessoais, como principalmente na esfera profissional e na relação com os clientes, sendo uma ferramenta essencial para o desenvolvimento humano, com colaboração e empatia.

“Nosso padrão de comunicação instituído por hábito tem se mostrado inefetivo, seus resultados não nos levam a atingir o que realmente ansiamos, além de promover afastamento, resistência e repulsa numa sociedade já extremamente polarizada. Uma comunicação natural usa o que há de mais humano em nós, nos ajuda a enxergar o que há de mais humano no outro, permite que nos reconheçamos reciprocamente, de modo a perdemos rivais e ganharmos aliados; nos habilita a passar a mensagem de modo a ser plenamente compreendida por outro ser humano e a estimular nele a cooperação, a coparticipação e a corresponsabilidade, mantendo relações saudáveis e atendendo satisfatoriamente às necessidades de todos os envolvidos.” complementa Rebeca.

Nesse sentido, Cléa Cortez e Mário Souza de Moura Jr, ambos colaboradores do R&R, membros do Comitê, entendem que “Uma comunicação baseada em competências de linguagem que auxiliam na reformulação de forma como cada um se expressa e ouve os demais. O método faz com que as interações ocorram com mais respeito, atenção e empatia.”.

Sabemos que a prática da comunicação não-violenta no local de trabalho pode trazer diversos benefícios. E de acordo com a nossa palestrante, tal ação possui um valor inestimável: “A CNV nos habilita a falar sem medo do que realmente precisamos, a estabelecer nossos limites, identificar os limites dos outros sem entender isso como um ataque pessoal e a nos conectar de maneira ainda mais plena com as pessoas com quem dividimos boa parte do dia. Um ambiente profissional pacífico nos dá tranquilidade e inspiração para produzir mais. As emoções próprias e naturais das responsabilidades e contratempos do trabalho não são somadas às emoções represadas de um ambiente de desconfiança, de desconforto, de medo e raiva. Essa ferramenta de tecnologia social, ainda, nos permite identificar de modo mais assertivo e rápido as emoções e reais necessidades dos nossos clientes, nos tornando competentes a buscar soluções que não apenas ponham fim a um conflito, mas que o resolvem por completo e tragam plena satisfação. “.

O evento online contou com a presença de mais de 100 pessoas com um retorno positivo dos participantes, já que foi possível um espaço de interação e abertura para que cada indivíduo pudesse refletir sobre suas emoções, comportamentos, de que forma a auto-observação pode ser um caminho para a prática desta técnica, entre outros insights proporcionados durante a experiência

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *