Maternidade x Carreira: Os desafios da dupla jornada

A maternidade é um momento desafiador na vida pessoal e profissional de toda mulher. Neste mês de maio, comemora-se o dia das mães e a verdade é que talvez as mulheres não tenham muito o que celebrar. Segundo estudos, 30% das mães deixam o mercado de trabalho nos dois primeiros anos de vida dos seus filhos. As razões são inúmeras: demissão por parte dos empregadores, pedido de demissão por falta de rede de apoio, sobrecarga, remuneração abaixo da média e tantas outras questões. Precisamos discutir sobre o papel da sociedade e das empresas na adaptação desta nova mulher no seu âmbito profissional. Ser mãe não é uma condição limitante e é preciso combater esse preconceito.

Infelizmente, não é incomum que mulheres fiquem sobrecarregadas após se tornarem mães. A sociedade exige que a mulher seja responsável quase que exclusivamente pelas tarefas de casa e pelos cuidados com os filhos. Pouco se discute sobre divisão igualitária de responsabilidades e a balança acaba pesando muito mais para a mulher, a começar pela discrepância entre o tempo da licença maternidade e a paternidade.

A mulher que decide conciliar maternidade e carreira o faz por necessidade, seja ela financeira, pessoal, profissional ou, mais comumente, uma combinação das três. Analisando por esse viés, a profissional que está no mercado de trabalho, apesar de todos os fatores dificultosos, sempre dará o seu melhor porque para ela não faz sentido sair de casa e abrir mão de tempo de qualidade com seus filhos para fazer uma entrega aquém do esperado. E é essa força que as empresas precisam enxergar! A ideia de limitação deve ser convertida em respeito e admiração.

Quanto à sociedade, cabe a esta substituir o julgamento por acolhimento, aquela famosa crítica construtiva por ação. Uma mãe não precisa da sua opinião sobre como ela deve educar os seus filhos, ela precisa que você seja suporte nas horas difíceis, ofereça sua disponibilidade e seu afeto. Alguns dias serão mais difíceis que outros, é certo. Mas saber que não estamos sozinhas nesta caminhada é o maior presente que podemos receber neste dia das mães e em todos os dias de nossas vidas.

 

Camila Paiva é advogada com atuação especializada em Direito Securitário desde 2013. Coordenadora de equipes voltadas ao Contencioso Cível de volume no Mercado de Seguros desde 2015 no Rueda e Rueda Advogados. Mãe de Maria Helena e à espera de Emanuel.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *