Dia do Advogado

A indispensabilidade do advogado nas garantias dos direitos da sociedade

Minha primeira lembrança sobre o direito me remete automaticamente
aos meus avós, em especial ao meu avô, que sempre teve o sonho de ter um filho advogado. O
filho se formou em letras e todas as expectativas foram depositadas na neta. Lembro da minha
infância e todas as vezes que o meu avô me incentivava a conhecer a profissão e falava para
todos os amigos, familiares e até desconhecidos que a sua neta faria direito e se tornaria
advogada. Profissão essa que hoje exerço com muito orgulho!

Ainda na faculdade li uma frase que afirmava que “a advocacia é a
profissão das esperanças” e hoje, com 7 anos de formada, ainda sinto toda a empolgação que
senti quando li essa frase. Acredito que ser advogado é ter espaço na sociedade para batalhar
por equidade na aplicação do direito, é ser o elo entre a população e a justiça.

Ser advogado segundo o artigo 133 da Constituição Federal, é ter uma
profissão indispensável à administração da justiça, sendo violável por seus atos e
manifestações no exercício da profissão nos limites da lei. Há também quem defenda que o
advogado perante a sociedade, sem a sua atuação, não se tem voz ativa dos direitos legais.
Com o passar dos anos e o aumento considerável de colegas de
profissão, 1 para cada 190 habitantes, segundo um estudo da OAB, é de suma importância
sermos o diferencial, atuarmos com vontade, termos compromisso e dedicação.

É incontestável que o advogado é o principal defensor da justiça, da
cidadania e o garantidor da paz social. Posso afirmar com toda certeza e serenidade que o
exercício de nós juristas vai muito além de escritórios, fóruns e tribunais. Temos um papel
primordial com a sociedade em exercer a nossa profissão com ética e moral, defendendo a
esperança da população em ter uma vida mais igualitária e digna. Por essa razão é notório que
esta é uma profissão difícil, pois sempre são depositadas muitas expectativas de uma solução
sobre o qual não temos muito controle do resultado.

Nossa profissão só pode ser praticada onde os direitos individuais e
coletivos podem ser exercidos de maneira justa, aceita e respeitada por todos. É dever de
todos nós lembramos sempre do nosso juramento em defender, cumprir e exercer esses
direitos com dedicação e ética.

Nesse dia 11 de agosto, relembro aos colegas e a todos que se dedicam
a nossa profissão o verdadeiro papel que é lutar pela coletividade de forma incansável. Sendo
assim, encerro esse texto com as sábias palavras de Rui Barbosa: “Advogado, afeito a não ver
na minha banca o balcão do mercenário, considero-me obrigado a honrar a minha profissão
como um órgão subsidiário da justiça, como um instrumento espontâneo das grandes
reivindicações do direito, quando os atentados contra eles ferirem diretamente, através do
individuo, os interesses gerais da coletividade.”

Feliz dia do advogado!

1 comentário em “A indispensabilidade do advogado nas garantias dos direitos da sociedade”

  1. Texto incrível, que esse dia seja comemorado em causa própria ! Parabéns Ana, excelente advogada, orgulho de fazer parte do mesmo time que você !

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *